Em sequência de diversas reuniões ocorridas, encontra-se defenida uma fusão faseada da Prosegur Alarmes, com a Prosegur-Companhia de Segurança Lda, resultando a extinção da primeira. O processo iniciou-se a 01 Junho 2021 com a fusão da Delegação de Braga, e irá abranger todas as Delegações da Prosegur Alarmes no territorio Continental e Ilhas.

    Nas ultimas semanas tem sido apresentadas ao Vigilantes, que desempenhavam funções de P.I.R.(Piquete de Intervenção Rápida), adendas contratuais de forma a desvincularem-se da Prosegur Alames, e a integrarem a Prosegur-Companhia de Segurança Lda. Após uma analíse da referida adenda por parte da Direção e do Departamento Jurídico ASSP, constatata-se que o documento possui alegadas inconformidades na sua redação, pois não garante a totalidade dos direitos adquiridos pelos trabalhadores, da empresa Prosegur Alarmes, na continuidade das suas funções como Ronda Móvel, com a função de serviços de receção, gestão, monitorização e resposta a sinais de alarme, bem como resposta aos mesmos.

    Prevê-se como consequência, a perda de direitos tais como do Subsidio de Rondista, ou até, desenvolver unicamente funções de Vigilante vulgo Estática.

    Desta forma é aconselhavel a todos os trabalhadores da Prosegur Alarmes, a NÃO assinatura da adenda em causa, enquanto a mesma não for reformulada, por forma a manter todas as garantias dos Trabalhadores.

    A ASSP irá solicitou a Prosegur, a alteração da redação da adenda, afim de que todos os direitos e garantias dos Trabalhadores sejam assegurados.

Todos os Colegas que se identifiquem com este problema, poderão solicitar apoio/aconselhamento a ASSP, em Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

Direção ASSP